quinta-feira, novembro 29, 2007

Êxodo Rural

EXÔDO RURAL

Podemos definir êxodo rural como sendo o deslocamento de pessoas da zona rural (campo) para a zona urbana (cidades). Ele ocorre quando os habitantes do campo visam obter condições de vida melhor. Os principais motivos que fazem com que grandes quantidades de habitantes saiam da zona rural para as cidades são: busca de empregos com boa remuneração, mecanização da população rural, fuga de desastres naturais (secas, enchentes, etc), qualidade de ensino e necessidade de infra-estrutura e serviços (hospitais, transportes, educação, etc).
O Brasil, hoje, é um país urbanizado. Com saída das pessoas do campo em direção às cidades vem aumentando sistematicamente em todo o país, onde a população urbana, logicamente aumenta. A taxa de urbanização, em porcentagem, no Brasil em 1950 era de 36,2%, 1970 55,9% e 2003 84,3%.
O Brasil presenciou o seu período de maior êxodo rural entre as décadas de 60 e 80 quando aproximadamente 13 milhões de pessoas abandonaram o campo e rumaram em direção aos centros urbanos. Isso equivale a 33% da população rural do início da década de 60.
O êxodo pode também ser chamado de “migração” quando dentro das fronteiras de um país ou território, ou “emigração” quando acontece de um país, ou território, para outro.
O êxodo rural provoca, na maioria das vezes, problemas sociais. Cidades que recebem grande quantidade de migrantes, muitas vezes, não estão preparadas para tal fenômeno. Os empregos não são suficientes e muitos migrantes partem para o mercado de trabalho informal e passam a residir em habitações sem boas condições (favelas, cortiços, etc).
Além do desemprego, o êxodo rural descontrolado causa outros problemas nas grandes cidades. Ele aumenta em grandes proporções a população nos bairros de periferia das grandes cidades. Como são bairros carentes em hospitais e escolas, a população destes locais acaba sofrendo com o atendimento destes serviços. Escolas com excesso de alunos por sala de aula e hospitais superlotados são as conseqüências deste fato.
Os municípios rurais também acabam sendo afetados pelo êxodo rural. Com a diminuição da população local, diminui a arrecadação de impostos, a produção agrícola decresce e muitos municípios acabam entrando em crise. Há casos de municípios que deixam de existir quando todos os habitantes deixam a região.
Na década de 1960, no Brasil, durante o governo de JK (Juscelino Kubitschek) houve um grande investimento no desenvolvimento industrial nas grandes cidades da região sudeste. Com a abertura da economia para a capital internacional, diversas multinacionais, principalmente montadoras de veículos, construíram grandes fábricas em várias cidades, como por exemplo São Paulo e Guarulhos. O resultado disso foi um grande êxodo rural do Nordeste para o Sudeste do país. Os migrantes nordestinos, fugitivos da seca e do desemprego, foram em busca de trabalho e melhores condições de vida nas grandes cidades do Sudeste. Este processo estendeu-se com força durante as décadas de 70 e 80. Como estas cidades não ofereceram condições sociais aos migrantes, houve o esperado: aumento das favelas e cortiços, desemprego, aumento da violência, principalmente nos bairros de periferia.
Na história do Brasil, por exemplo, podemos citar a migração das regiões do nordeste onde predominava a agricultura da cana, para o sudeste onde floresciam as culturas de café. E, mais tarde, em tempos mais recentes, lá pela década de 50, se inicia uma nova migração, desta vez para a nova capital do país, Brasília. A migração para Brasília fez surgir inúmeras cidadelas que não estavam nos planos de infra-estrutura e que, por terem se instalado nos arredores da grande capital, foram chamadas de “cidades-satélites”.
Mas na metade da década de 90, a população rural se estabilizou e sofreu um pequeno aumento. Isso se deve, em parte, ao programa de reforma agrária, do aumento da oferta de empregos rurais não agrícolas em hotéis-fazenda, spas, pesqueiros, pousadas, comercio no entorno de parques e reservas ecológicas.
Tanto no Brasil, quanto em outras regiões do mundo, o êxodo rural ocasiona o crescimento desordenado dos centros urbanos, gerando um verdadeiro caos social. Sem planejamento as cidades não conseguem fornecer as condições sanitárias e de infra-estrutura básicas aos novos moradores gerando miséria, doenças e mais bagunça.
Referências

3 comentários:

Hozalia disse...

Esse texto está muito bom e muito bem escrito, estou fazendo um trabalho sobre comunidade urbana e rural e ele foi de grande ajuda.
Abraços

Isabel Miguel Chiluvane disse...

exte trablho foi muito utel pra mim.

Emanuelle Lira disse...

Muito bom e útil.